Gotas de Misericórdia (4): A caridade de Deus

Lucas 1, 39-56Oração

Senhor Jesus Cristo,

Vós que nos ensinastes a ser misericordiosos como o Pai celeste, e nos dissestes que quem Vos vê, vê a Ele. Mostrai-nos o Vosso rosto e seremos salvos.

O Vosso olhar amoroso libertou Zaqueu e Mateus da escravidão do dinheiro; a adúltera e Madalena de colocar a felicidade apenas numa criatura; fez Pedro chorar depois da traição, e assegurou o Paraíso ao ladrão arrependido.

Fazei que cada um de nós considere como dirigida a si mesmo as palavras que dissestes à mulher samaritana:  Se tu conhecesses o dom de Deus! Vós sois o rosto visível do Pai invisível, do Deus que manifesta sua omnipotência sobretudo com o perdão e a misericórdia: fazei que a Igreja seja no mundo o rosto visível de Vós, seu Senhor, ressuscitado e na glória.

Vós quisestes que os Vossos ministros fossem também eles revestidos de fraqueza para sentirem justa compaixão por aqueles que estão na ignorância e no erro: fazei que todos os que se aproximarem de cada um deles se sintam esperados, amados e perdoados por Deus.

Enviai o Vosso Espírito e consagrai-nos a todos com a sua unção para que o Jubileu da Misericórdia seja um ano de graça do Senhor e a Vossa Igreja possa, com renovado entusiasmo, levar aos pobres a alegre mensagem proclamar aos cativos e oprimidos a libertação e aos cegos restaurar a vista.

Nós Vo-lo pedimos por intercessão de Maria, Mãe de Misericórdia, a Vós que viveis e reinais com o Pai e o Espírito Santo, pelos séculos dos séculos.

Amém

Leitura do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas (Lc 1, 39-45)

39 Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se às pressas, a uma cidade da Judeia. 40 Entrou na casa de Zacarias, e saudou Isabel. 41 Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança se agitou no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42 Com um grande grito exclamou:  “Você é bendita entre as mulheres, e é bendito o fruto do seu ventre!. 43 Como posso merecer que a mãe do meu Senhor venha me visitar? 44 Logo que a sua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança saltou de alegria no meu ventre. 45 Bem-aventurada aquela que acreditou, porque vai acontecer o que o Senhor lhe prometeu.”

Contexto:

A visitação de Maria à Isabel aponta duas referências bíblicas ricas em humanidade e espiritualidade, pois a Mãe do Salvador percorreu o mesmo caminho feito pela Arca da Aliança (2Sm 6, 2-11 e o que Jesus fará quando se dirigir à Jerusalém (Lc 9, 51), demonstrando que Deus sempre vai ao encontro das pessoas para salvá-las.

Não temos aí apenas gestos de serviço humanitário e voluntarioso, mas a confirmação do sinal dado pelo Anjo Gabriel à Maria, nos versículos (36/37) que antecedem a passagem bíblica, onde João aponta a presença do Messias e representa a exultação de Israel pela vinda do Salvador.

E mais, as palavras de Isabel, inspiradas pelo Espírito, demonstram o quão agradável a Deus é Nossa Senhora, cuja maternidade fruto da sua fé na Palavra, comprovam que é a sua maior ação é fazer-se dom de Deus para toda a humanidade.

Reflexão:

 A caridade de Deus

O encontro de Maria e Isabel é ocasião de louvor e ação de graças a Deus, por sua ação salvífica e também é um chamado para acolhermos e correspondermos ao dom que nos é dado, Jesus, o Salvador.

O nascimento dEle, cuja memória fazemos através da Eucaristia, tem sentido a partir de sua morte e ressurreição, quando compreendemos a relação entre o Antigo e o Novo Testamento, e por isso a vinda do Messias requer antes de tudo a contemplação do amor de Deus que se dá a cada um de nós.  É o dom de Si mesmo, o maior dentre todos os amores que podemos experimentar.

Por isso também ao celebrar a Eucaristia no Natal de nosso Senhor, atualizamos e renovamos a presença em nós do Deus Conosco, o Emanuel, e unidos à Virgem Mãe, que nos ensina a ir ao encontro dos nossos irmãos, possamos estar conscientes de que Sua presença em nossa vida pode e deve despertar nos outros a mesma realidade.

 Oração Final:

Hino do Ofício das Leituras – III Semana do Saltério – 19 de dezembro de 2015

Oh vinde depressa,
do seio da virgem,
Beleza dos céus!
O mundo admire:
um tal nascimento
é digno de Deus.

Não germe de homem,
mas sopro divino
no seio o gerou.
O verbo de Deus
se fez nossa carne,
o ventre deu flor.

A vida já cresce
no seio da Virgem
que guarda a pureza.
Deus mora em seu templo
e brilha a virtude
em toda a grandeza.

Que venha o herói
que é homem e é Deus,
do quarto nupcial,
correr glorioso
seu nobre caminho,
a trilha real.

Igual a Deus Pai,
reveste dos homens
a carne, a fraqueza,
e, desta maneira,
nos dá a virtude,
de Deus fortaleza.

Já brilha o presépio,
e um novo esplendor
a noite nos traz.
Que fujam as trevas,
a fé resplandeça
e reine a paz.

A vós, Rei piedoso,
e ao Pai que nos ama,
a glória convém.
Com vosso Espírito
reinais sobre o mundo
nos séculos. Amém.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s